“Estamos criando uma geração que não pensa”, afirma pedagoga

“Estamos criando uma geração que não pensa”, afirma pedagoga

Isabel Parolin conversou com colaboradores da FIESC sobre a difícil tarefa de educar os filhos.

O desafio de auxiliar na formação das crianças foi o tema do primeiro encontro do projeto Escola de Pais, alinhado ao Movimento A Indústria pela Educação, da FIESC, e tem por objetivo orientar os colaboradores da entidade em relação à educação dos seus filhos. Na conversa com os participantes, a psicopedagoga Isabel Parolin, falou sobre o desafio de contribuir nesse processo e a existência de jovens “desconectados”. “Estamos criando uma geração de pessoas que não pensam. São crianças que não aprendem a pensar nem a se situar no mundo”, alertou.

“Precisamos de pais focados na educação dos filhos e planejando esse processo”, afirmou a psicopedagoga, que classifica como ações concorrentes aquelas que desviam o foco e reduzem a atenção dos pais em relação às crianças. “Do contrário, teremos crianças desorientadas, sem uma bússola para guiar e sem noção de mundo”, completou.

O excesso de informação também é apontado por Isabel como um entrave ao processo de formação das crianças. “As pessoas consomem informação, mas não a transformam em conhecimento”, explicou. Para a especialista, a qualidade das relações afetivas ajuda o indivíduo a construir sua forma de ver o mundo. “Precisamos humanizar e socializar nossas crianças”, defende Isabel.

Outros dois temas serão abordados no projeto Escola de Pais ao longo do ano: Como estimular a construção da identidade e da autonomia; e Adolescência: a busca da identidade, a importância do grupo, a construção da sexualidade e as drogas.  A ação é multiplicada em todas as unidades da FIESC no Estado.

Elida Hack Ruivo

Assessoria de Imprensa da FIESC

48 3231-4244 | 48 9176-2505

elida.ruivo@fiesc.com.br