Fórum para discutir trabalho

Fórum para discutir trabalho

Fórum para discutir trabalho, renda e previdência tem 1ª reunião no Planalto

Criado em 02/09/15 22h35 e atualizado em 02/09/15 22h35
Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil Edição:Aécio Amado Fonte:Agência Brasil

Com objetivo de discutir propostas que tragam melhorias para as políticas de emprego, trabalho, renda e previdência, o governo promoveu hoje (2) a primeira reunião do Fórum de Debates sobre Políticas de Emprego, Trabalho e Renda e Previdência Social. O encontro ocorreu no Palácio do Planalto e teve a presença de representantes dos trabalhadores, empresários, aposentados e pensionistas.

Pelo governo, participaram os ministros Nelson Barbosa, do Planejamento, Orçamento e Gestão; Carlos Gabas, da Previdência Social; e Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência da República. Neste primeiro encontro foram criados dois grupos de trabalho. O primeiro vai debater crescimento, trabalho, emprego e renda. O segundo tratará de previdência.

“Constituímos um grupo de trabalho para sistematizar essas propostas. Vamos recuperar outras propostas, feitas em outros fóruns e nas centrais sindicais. Queremos fazer como fizemos com o Programa de Proteção ao Emprego, ou seja, a partir do debate construir novas inciativas”, disse Rossetto em entrevista à imprensa após a reunião.

Segundo o ministro, foram apresentadas também “várias ideias” sobre temas como a redução da jornada de trabalho, qualificação profissional e rotatividade no emprego. “Não podemos nos conformar com 43% de rotatividade no mercado brasileiro. É ruim porque traz insegurança para os trabalhadores e reduz produtividade, além de trazer clima de instabilidade”, disse Rossetto.

Para o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, a criação do fórum vem em boa hora. “Este fórum está num momento muito pertinente para buscarmos um diálogo para situações muito ruins. A vontade positiva é importante. A demonstração de diálogo entre todos pode ser um exemplo para mudar o cenário hoje”.

O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, aprovou a criação do fórum como um espaço de debates e soluções. “Valorizo o diálogo entre trabalhadores, empresários e o governo. Este fórum incentiva cada vez mais o diálogo com o governo”.

O fórum terá reuniões plenárias mensais, além de encontros semanais com os grupos de trabalho. O encerramento do fórum está previsto para fevereiro de 2016, quando será apresentado o relatório final no dia 17.

Editor Aécio Amado