Fundo de Garantia do Tempo de Serviço completa 50 anos

Fundo de Garantia do Tempo de Serviço completa 50 anos

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) completou 50 anos no dia 13 de setembro de 2016. Nesse período, o FGTS acumulou um total de R$ 498 bilhões em ativos e um patrimônio líquido superior a R$ 100 bilhões, consolidando-se como um dos principais agentes de desenvolvimento do país. Nos seus 50 anos, foram mais de R$ 426 bilhões aplicados em obras de moradia popular, rodovias, portos, hidrovias, aeroportos, ferrovias, energia renovável e saneamento básico.

Os investimentos a serem aplicados até 2019 em habitação, saneamento básico e infraestrutura urbana ultrapassam R$ 218 bilhões, conforme orçamento aprovado pelo Conselho Curador do FGTS. Mais de 4 mil municípios (73%) já tiveram obras financiadas com recursos do Fundo. Até junho desse ano, o FGTS havia aplicado mais de R$ 28 bilhões em obras em todos estados do Brasil.

Criado no dia 13 de setembro de 1966, o Fundo de Garantia funciona como uma poupança paga pelo empregador em nome do funcionário, equivalente a 8% da remuneração, sem descontar do salário do trabalhador. Desde sua criação, já foram realizados mais de 702

milhões de saques das contas vinculadas, totalizando mais de R$ 890 bilhões injetados na economia brasileira.

O Ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, que preside o FGTS, avalia que o Fundo já demonstrou possuir a capacidade de manter níveis expressivos de investimentos mesmo em cenários econômicos adversos, sem colocar em risco os recursos dos trabalhadores cotistas. “Os investimentos aprovados pelo Conselho Curador demonstram a importância do Fundo para a execução de obras estratégicas no país. E, por outro lado, o aniversário de 50 anos marca também a garantia do FGTS como um direito do trabalhador brasileiro”, afirma.

Para o líder sindical Mauri Viana Pereira a evolução expressiva em todos os números apresentados pelo Fundo de Garantia, na última década, demonstra e reafirma o pesando de que a classe trabalhadora é uma das principais responsável pelo crescimento e desenvolvimento do país. “Nos últimos dez anos, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço foi responsável por 53% das unidades habitacionais contratadas no Brasil. Somente em 2016, o Conselho Curador do FGTS liberou mais de R$ 66,5 bilhões para a realização de obras de saneamento e infraestrutura. Estes números sustentam a nossa tese de que a classe trabalhadora é a grande responsável por manter o crescimento e desenvolvimento no Brasil”, afirma Mauri Viana que é presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Celetistas nas Cooperativas no Brasil – Fenatracoop, vice-presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST e membro titular do Conselho Curador do FGTS.